Bem-estar no trabalho

Semana de prevenção de acidentes do trabalho do CT inovou na pauta, incluindo depressão e assédio moral nos debates

TREINAMENTO. Participantes da X Sipat aprendem a manejar extintores de incêndio no CT

A X Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Trabalho (Sipat) do Centro de Tecnologia, teve um foco diferente: lançou um olhar especial sobre o bem-estar físico e mental do trabalhador. Foram abordados temas como depressão, assédio moral e práticas voltadas para a qualidade de vida.

 

“O evento oferece a oportunidade de conscientização da comunidade sobre riscos no trabalho e a necessidade de prevenção”, explica o coordenador-geral do Sintufrj e coordenador de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho (SST) da Decania do CT, Huascar Costa Filho. “Não adianta trabalhar só apagando incêndios. A ideia é evitar acidentes”, diz ele.

 

Abertura

O evento foi realizado no salão nobre da Decania do CT. Na abertura, Huascar, destacou a importância da Sipat para os trabalhadores: “Temos que combater o estresse, observar a questão da ergonomia (aplicação de técnicas que geram o bem-estar do trabalhador no ambiente de trabalho) e a qualidade de vida das pessoas”. Por conta disso, este ano foram incluídas na programação da Sipat oficinas de biodanza, ioga e debate sobre assédio moral.

 

O pró-reitor de Pessoal, Agnaldo Fernandes, afirmou que, nestes dias de mudanças na legislação e ameaças à carreira dos técnicos-administrativos em educação, a realização da Sipat ganha ainda mais importância, pois contribui para a construção coletiva da resistência na preservação de direitos. Ele sugeriu que a iniciativa fosse adotada por todos os centros.

 

Segundo o decano do CT, Walter Suemitsu, dirigentes de outros centros já manifestaram interesse em seguir o exemplo da sua decania.

O diretor adjunto de Administração da Coppe, Fernando Sepúlveda, apontou a importância que a saúde ocupacional deve ter para os gestores. Marcos Barbosa, da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes da Coppetec, reconheceu que a Sipat é importante para o dia a dia dos trabalhadores. Para o representante da Adufrj, Fernando Duda, “neste momento complicado, fóruns como a Sipat são muito bem-vindos.

O que eles dizem

 

Para a técnica do Laboratório Psicossocial da Coordenação de Políticas de Saúde do Trabalhador (CPST), Tânia Maria da Silva, a Sipat contribui para o “aprofundamento do conhecimento sobre técnicas e teorias para um processo de trabalho mais saudável do ponto de vista físico e mental” e “abre perspectiva de tornar o servidor um multiplicador do aprendizado”.

 

Já a técnica em Atenção Psicossocial da CPST, Camille de Brito Butter, considera que “o bem-estar físico e mental do trabalhador tem que ser debatido constantemente, e o evento é uma oportunidade importante para isso”.

 

Na avaliação de Thaís Motta, arquiteta e bolsista de mestrado do CT, “o evento aborda questões para promover melhores condições de trabalho e é importante para divulgação e informação para a comunidade, independente da área de atuação.”

 

Para Eliane Pereira, arquiteta da Decania do CT, “é muito importante cuidar da saúde no ambiente, já que é onde passamos um terço de nosso dia”.

NO SIPAT. Eliane Pereira, Thaís Motta, Tânia Maria e Camille de Brito satisfeitas com o resultado