Falar é a melhor solução

 

Setembro é o mês mundial de prevenção contra o suicídio. Tema que enfrenta grandes dificuldades na identificação de sinais, oferta e busca por ajuda, justamente pelos preconceitos e pela falta de informação.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, o suicídio aumentou gradativamente no Brasil entre 2000 e 2016: foi de 6.780 para 11.736, uma alta de 73% nesse período. As maiores taxas de crescimento foram registradas entre e idosos.

 

O Centro de Valorização da Vida (CVV) informa que a média brasileira é de 6 a 7 mortes por 100 mil habitantes. Está abaixo da média mundial, mas esse número tem crescido, principalmente entre jovens de 15 a 25 anos.

 

Mais dados

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no mundo, o suicídio acomete mais de 800 mil pessoas. É a segunda causa de morte no planeta entre jovens de 15 a 29 anos – a primeira é a violência. Já no Brasil, em 2015, o suicídio foi a quarta causa de morte nessa mesma faixa etária, ficando atrás de violência e acidente de trânsito, de acordo com os dados do Ministério da Saúde.

 

De acordo ainda com OMS, 90% dos casos podem ser prevenidos, desde que existam condições mínimas para oferta de ajuda voluntária ou profissional.

 

Carlos Correia, voluntário e porta-voz do CVV comenta que os casos podem ser reduzidos: “Perceber que a pressão interna está muito elevada, que o copo está para transbordar e, nesse momento ou antes disso, pedir e aceitar ajuda é muito eficiente. Conversar com alguém, seja conhecido ou desconhecido, de forma acolhedora e sem críticas já ajudaria essa pessoa a superar aquele momento.”, explica ele.

 

Quem pode ajudar

Quem precisa de ajuda pode recorrer ao Centro de Valorização da Vida (www.cvv.org.br), programa de prevenção conta o suicídio e apoio emocional gratuito, um grupo de voluntários preparados para conversar e compreender pessoas que estão abaladas emocionalmente e que correm sério risco de morte. O CVV atende por telefone, chat, skype, e-mail e pessoalmente. Quem precisa de ajuda pode ligar gratuitamente para 188.

 

Materiais informativos estão disponíveis no site www.setembroamarelo.org.br.