OUTUBRO ROSA

O que você precisa saber sobre o câncer de mama e o de colo do útero

O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, seguido pelo câncer de colo do útero – que constitui a quarta maior causa de morte de mulheres por câncer no país. Por isso, desde 2008, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) realiza anualmente a campanha Outubro Rosa, cujo objetivo é promover a conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce dos tumores e compartilhar informações a respeito. De acordo com o Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), só em 2013 foram 14.388 mortes causadas pelo tumor na mama, sendo 14.207 mulheres e 181 homens – que, apesar de ser raro, representa 1% do total dos casos. Já pela doença no colo do útero, foram registrados 5.430 óbitos na população feminina no mesmo ano.

DIAGNÓSTICO – O principal sintoma do câncer de mama é a presença de um nódulo fi xo, geralmente indolor, nos seios, axila ou pescoço. Ele está presente em 90% dos casos, quando o câncer é descoberto pela própria mulher. Além deste sintoma, pele da mama avermelhada, retraída ou com aparência de uma casca de laranja, qualquer saída de líquido anormal das mamas e alterações no mamilo também são indícios. No caso do colo do útero, o principal fator de risco é o papilomavírus (HPV), sexualmente transmissível. O uso prolongado de pílulas anticoncepcionais e o tabagismo também podem ocasionar o aparecimento do câncer.

 

PREVENÇÃO – Não é completamente possível preveni-lo, por conta da quantidade de fatores relacionados ao surgimento da doença e pelo fato de vários deles não serem modifi cáveis.

 

Entretanto, há a possibilidade de controlar os riscos de desenvolvimento nas mamas e estimular a proteção. Alimentação saudável, controle do peso, prática de atividades físicas e não consumir álcool e tabaco podem reduzir em até 28% sua incidência. É fundamental que o público feminino a partir dos 40 anos realize anualmente a mamografi a. Mulheres, sobretudo a partir dos 50 anos, são propensas a desenvolver a doença. Porém, na última década, a incidência entre jovens com menos de 35 anos passou a ser entre 4% e 5% de todos os casos. Para o colo do útero, o uso de preservativos é imprescindível. Quanto ao HPV, é possível preveni-lo através de vacinas que combatem o vírus e da realização do exame preventivo (Papanicolau) anual. O Ministério da Saúde promove duas fases de campanhas de vacinação destinadas a meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 para prevenir o vírus.

 

AUTOEXAME – Deve ser feito mensalmente, entre o 7º e o 10º dia, contados a partir do 1º dia da menstruação. Para as mulheres que não menstruam, é necessário que escolham um dia do mês para realizá-lo. Para examinar a mama esquerda, coloque a mão esquerda atrás da cabeça e apalpe com a mão direita. Com a mama direita, ponha mão direita atrás da cabeça e apalpe com a mão esquerda. Após esse processo, tateie toda a área debaixo dos braços. Com os mamilos, os pressione suavemente e verifi que se há alguma secreção.

 

TRATAMENTO – O câncer de mama possui, em média, quatro tipos mais comuns e outros raros. Com isso, o tratamento não é padrão, afi nal cada tipo de tumor tem uma intervenção específi ca – que deve ser prescrito pelo médico oncologista. Já para o câncer de colo de útero, os tratamentos mais comuns são a cirurgia e a radioterapia. Isso se defi ne a partir do estadiamento da doença, tamanho do tumor e fatores pessoais, como idade e desejo de ter fi lhos. (fonte: Ministério da Saúde/Inca)