Sintufrj dá boas-vindas

a recém-concursados

Categoria ganha o reforço de mais 80 trabalhadores técnico-administrativos

A partir de segunda-feira, 1º de outubro, 80 novos técnicos-administrativos em educação estarão incorporados às rotinas de trabalho da UFRJ. A posse desses concursados (eles foram aprovados nos concursos dos Editais 455 e 861) está agendada para sexta-feira, 28, no auditório do Horto do Museu Nacional. A academia também recebeu reforço de 13 professores adjuntos.

 

A programação de acolhimento aos recém-ingressos na instituição pela Pró-Reitoria de Pessoal (PR-4) começou na terça-feira, 25, no auditório Professor Almir Fraga Valadares. Vestindo camisetas da campanha #MuseuNacionalVive#, a equipe da PR-4 deu as boas-vindas aos novos colegas e orientou-os sobre a burocracia a ser cumprida no processo de nomeação.

 

Até sexta-feira, os novos servidores assistirão a palestras sobre a Carreira dos técnicos-administrativos em educação, direitos e deveres, benefícios e saúde. As equipes da Divisão de Admissão e da Coordenação de Políticas de Pessoal da PR-4 são os responsáveis pelo acolhimento a trabalhadores que ingressam na universidade por concurso público.

 

Uma história de lutas

 “O Sintufrj é classista, não desconta o imposto sindical, a sindicalização é voluntária, mas precisamos de todos vocês nas frentes de lutas que temos pela frente”, informou a coordenadora-geral da entidade Gerly Miceli na sua saudação às novas companheiras e companheiros de universidade. Cada um dos presentes recebeu uma pasta contendo ficha de filiação e uma cartilha com os convênios e serviços prestados pela entidade aos sindicalizados e seus dependentes.

 

Em poucas palavras, Gerly fez um relato sobre a história de lutas da categoria a partir da década de 1980, quando a categoria na UFRJ assumia a associação que, em 1983, deu origem ao Sintufrj. Uma época em que sindicato era proibido para servidor público.

 

“Em outubro o Sintufrj completa 25 anos e, ao longo de todos estes anos, nada nos foi concedido ou dado como benesse. Sob a liderança do nosso Sindicato, combativo e de luta, fizemos muitas greves pelas conquistas que temos hoje. Somos exemplo para toda a categoria no país”, disse a dirigente. “E a nossa Federação, a Fasubra, nos organiza nacionalmente”, completou Gerly.

 

“Ouvidoria não é X-9”

A ouvidora-geral da universidade, Cristina Richter, expôs aos novos servidores como funciona a Ouvidoria-Geral da UFRJ em benefício da comunidade universitária. “A Ouvidoria não é X-9, Ministério Público ou polícia. É um espaço da cidadania. Uma conquista que traz no seu artigo 1º fundamentos republicanos como livre iniciativa, cidadania, soberania e dignidade da pessoa humana”, afirmou.

Instalada no segundo andar da Reitoria, a Ouvidoria-Geral garante o anonimato de autores de denúncias, embora aceite denúncias anônimas, mas somente atende pessoalmente e pelo e-mail ouvidoria@ouvidoria.ufrj.br. Mais informações pelo site www.ouvidoria.ufrj.br  e pelos telefones (21) 3938-1619/3938-1620.

 

“As pessoas tinham vergonha de procurar a Ouvidoria, mas a gente trabalha por cooperação para que a universidade cumpra a sua missão. Atuamos pela construção de uma relação dialógica”, disse Cristina. Uma das conquistas da Ouvidoria foi conseguir que o Conselho de Ensino de Graduação (CEG) efetivasse o direito de alunos usarem o nome social, o que pôs fim a situações de constrangimentos e humilhações nas salas de aulas, segundo a ouvidora.