Crescimento de testes positivos de covid-19 no Centro de Triagem Diagnóstica da UFRJ preocupa

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Coordenadora do CTD, Terezinha Castanheira, associa o fato à flexibilização das regras de isolamento social. Profissionais de saúde de unidades de fora da UFRJ também são atendidos na triagem

 

O Centro de Triagem Diagnóstica (CTD) para covid-19 da UFRJ registrou aumento do número de testagens positivas. Na última semana, a média atingiu 22%, contra 17% nos últimos dias de maio.

A coordenadora do CTD, professora da Faculdade de Medicina Terezinha Castanheira, ao dar a informação, associou a variação dos números, com viés de alta, à liberação das regras de isolamento social.

“Estamos preocupados que este aumento esteja associado a um processo inadequadamente acelerado de flexibilização das medidas de contingência (resultando) em muitas aglomerações em shoppings, transportes públicos, etc. e ao relaxamento na aplicação dos cuidados individuais”, disse.

O CTD funciona há três meses no Bloco N do CCS, no Fundão. O centro é a base de uma pesquisa feita pelo Laboratório de Virologia Molecular do Instituto de Ciências Biológicas realizada em parceria com o Departamento de Doenças Infecciosas da Faculdade de Medicina.

Desde 16 de março, o CTD já realizou cerca de nove mil atendimentos presenciais. No Laboratório de Virologia Molecular 13488 testes foram feitos.

A professora da Faculdade de Medicina explica que as atividades do centro de triagem têm viabilizado retaguarda diagnóstica para o corpo social da UFRJ envolvido diretamente no combate à pandemia.

Adicionalmente, diz Terezinha, o CTD dar suporte investigativo para profissionais de saúde envolvidos em pesquisa.

Do público atendido pelo centro de triagem fazem parte profissionais de saúde do Complexo Hospitalar da UFRJ e de outras unidades da rede federal no município do Rio.

Profissionais dos hospitais municipais da Ilha do Governador e do Miguel Couto e também da Coordenação de Emergência Regional do Leblon e do Centro Municipal de Saúde Marcolino Candau, na Cidade Nova, que são unidades que recebem os alunos da UFRJ também são recebidos no CTD.

Também são atendidos pelo centro profissionais de outras áreas da UFRJ que estão no enfrentamento diário da pandemia, e os estudantes do Alojamento e da Vila Residencial.

Entre os trabalhadores estão os terceirizados da limpeza; vigilantes da Prefeitura Universitária, que atuam na distribuição de doações; e o pessoal dos laboratórios de química, responsáveis, por exemplo, pela fabricação de álcool em gel.

CENTRO DE TRIAGEM DIAGNÓSTICA (CTD) já atendeu cerca de nove mil pessoas desde março, quando começou a funcionar. O pico do atendimento foi em abril

 

 

 

COMENTÁRIOS