Emoção e reconhecimento nos 100 anos da UFRJ

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

 

O centenário da maior universidade federal do país, completados no dia 7 de setembro, foi comemorado com uma programação prá lá de especial, que incluiu música, documentário e depoimentos emocionantes. As festividades se prolongaram até a terça-feira, 8, com transmissão pelo canal do Fórum de Ciência e Cultura no YouTube.

A Orquestra Sinfônica da UFRJ abriu as celebrações com um concerto especial no fim da tarde da segunda-feira, apresentando peças de grandes compositores ligados à Escola de Música, como Villa Lobos e Pixinguinha, em seguida, a reitora Denise Pires de Carvalho deu início à cerimônia oficial, que contou com a participação de ilustres integrantes da comunidade universitária e convidados. A primeira técnica-administrativa emérita, Regina Loureiro, foi destaque no vídeo no qual servidores e seus filhos declararam seu amor à instituição.

Famílias Minerva

“A UFRJ é tudo na minha vida. Além do privilégio de ter sido sua aluna, sou técnica-administrativa em educação da instituição. Tenho uma grande gratidão e amor pela universidade”, falou emocionada a nossa Regininha, ao lado do filho Hugo Loureiro, doutor em Geografia pela instituição. Emocionado ele recordou do convívio em criança com os colegas da mãe no ambiente universitário. “(A UFRJ) tem um significado enorme na minha vida. Toda minha formação eu devo a ela, e as boas amizades também. Conhecer uma universidade como eu tive a oportunidade de conhecer na qualidade de filho de uma servidora, foi importante, porque aprendi a valorizar o fazer desses trabalhadores públicos setor por setor”, disse o jovem.

“A gente espera tê-la sempre viva, sempre pública e de qualidade”, concluiu Hugo. “E com mais 100 anos de muitas glórias”, complementou Regininha..

“Quem não está na UFRJ no dia a dia não sabe o que é defender o ensino público de qualidade”, afirmou Maria Eduarda Fernandes, estudante de graduação. Ela estava acompanhada do pai, o professor da Escola de Belas Artes há 40 anos, Amaury Fernandes. “Nossa família é Minerva”, brincou.

O vídeo é encerrado com uma declaração bem oportuna do pequeno Kavi Aquino, aluno do Colégio de Aplicação: “Quero que a universidade continue ótima e com mais colégios para mais crianças estudarem”.

História  

No documentário “Centenária: A Universidade do Brasil entre duas pandemias” historiadores e pesquisadores da instituição discorrem sobre a trajetória da instituição nos seus 100 anos de existência. Também lembra os momentos difíceis pelos quais a UFRJ passou por conta de intervenções e ações de governo que não respeitaram a sagrada autonomia universitária conquistada com muita luta. Entre os algozes de plantão no Planalto foi citado FHC, cuja intervenção institucional resultou no histórico movimento de ocupação da Reitoria por estudantes, técnicos-administrativos e docentes. Mas o vídeo mostra a construção de uma universidade inclusiva e democrática, fruto das  políticas públicas das últimas décadas. Assista em https://bit.ly/2DBezb5

Parabéns em grande estilo

Depois da apresentação do Hotsite criado pelo Fórum de Ciência e Cultura especialmente para o centenário ( https://100anos.ufrj.br), o evento de quatro horas culminou com o vídeo no qual artistas como Chico Chico, Jards Macalé, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Zeca Pagodinho entre tantos outras personalidades artísticas parabenizavam a instituição pelo seu centenário e a homenageavam com versos do samba antológica de Cartola e Carlos Cachaça “Ciência e Arte”: “Tu és meu Brasil em toda parte / Quer na ciência ou na arte / Portentoso e altaneiro / Os homens que escreveram tua história / Conquistaram tuas glórias / Epopeias triunfais”.

 

 

COMENTÁRIOS