CAMPANHA SALARIAL: ASSEMBLEIA SIMULTÂNEA EM 18 DE MAIO

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Assembleia desta quinta-feira (28) decidiu pela paralisação em18 de maio, com realização de assembleia simultânea nos campi do Fundão, Praia Vermelha e Macaé, abrindo nova etapa da luta pela recomposição emergencial salarial de 19,99% que tem greve no horizonte, além de mobilizar para enfrentamento da pauta interna na UFRJ.

A reunião realizada no Salão Nobre do IFCS também decidiu pela criação de uma Comissão com participação da direção atual, da direção eleita e da servidores da base da categoria para definir prioridades da pauta interna na UFRJ.

O papel dessa comissão será levar a discussão dos pontos do movimento da campanha salarial e das questões internas da universidade em reuniões por local de trabalho. Fortalecer a luta pelo #forabolsonaro continuará como agenda constante.

O foco na luta salarial deu a tônica na assembleia marcada por consenso entre as forças que atuam no movimento dos trabalhadores na universidade há poucos dias das eleições que elegeram a nova direção da entidade.

A mesa que conduziu a reunião foi formada pelos coordenadores atuais do Sintufrj, Neuza Luzia e Jessé Mendes, pelo coordenador da diretoria que assume em 25 de maio, Esteban Crescente e pela representante da Fasubra, Val Ribeiro.

Em relação a pauta interna, foram listados a resistência a adesão à Ebserh, ponto eletrônico, a implantação do trabalho externo, as condições adequadas para o retorno em segurança e briga pela melhoria das condições de infraestrutura.

A primeira assembleia geral dos técnico-administrativos da UFRJ após a eleição da nova direção transcorreu num clima de unidade com o intuito de construção do fortalecimento da luta do funcionalismo pela recomposição salarial com vistas a greve, do fortalecimento da voz da base nos seus locais de trabalho e do avanço da campanha Fora Bolsonaro!

A necessidade da construção da pauta interna e a discussão com a categoria sobre a necessidade da greve para arrancar do governo Bolsonaro a recomposição salarial foram destacadas na maioria das falas.

Manifestação

No Dia Nacional de Luta servidores públicos do Rio de Janeiro das três esferas fizeram ecoar um sonoro Fora Bolsonaro pelas ruas do centro da cidade.
Os servidores da UFRJ, após assembleia, se somaram a companheiros da UFF e da Rural, docentes da UFRJ, professores da rede estadual, trabalhadores da saúde e estudantes do Instituto Federal.
“Sou servidor e vou lutar por reajuste ja”, foi uma das palavras de ordem da caminhada que saiu do IFCS no largo de São Francisco em direçao a nova sede da Alerj, em frente a Praça Mário Lago.

 

COMENTÁRIOS
error: Content is protected !!