MP do Rio dá prazo de 10 dias para que Bope explique operação que deixou 25 mortos na Vila Cruzeiro

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Chacina resultante da ação policial foi a terceira mais letal da história recente da região metropolitana da capital fluminense

 

Operação na favela Vila Cruzeiro (Foto: Reprodução/Reuters)

O Ministério Público do Rio (MPRJ) deu um prazo de dez dias para que o Batalhão de Operações Especiais (Bope) encaminhe os dados da averiguação sumária da operação policial que resultou na chacina de ao menos 25 pessoas na Vila Cruzeiro na terça-feira (24).

De acordo com O Globo, o prazo consta do procedimento instaurado pela 2ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Especializada para investigar o caso, que teve agentes da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal (PRF) envolvidos na operação.

“Pelo procedimento do MP, o comando do Bope terá de ouvir todos os policiais militares envolvidos e indicar os agentes responsáveis pelas mortes, além de esclarecer se foram lícitas as ações da polícia que terminaram em mortes na favela. A Promotoria enviou ofício ao Ministério Público Federal (MPF) para que tome as medidas cabíveis em relação aos agentes federais envolvidos na operação”, diz a reportagem.

O MP também pediu informações sobre os inquéritos relacionados à ocorrência abertos pelo Departamento-Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil e recomendou à Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) a apreensão e realização de perícias das armas dos policiais envolvidos na ação

Em nota, o Ministério Público Federal (MPF) informou que irá “apurar as condutas, eventuais violações a dispositivos legais, as participações e responsabilidades individualizadas de agentes policiais federais” durante a operação.

 

COMENTÁRIOS