Deliberações da assembleia de sexta-feira, 25/2

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

A Assembleia do Sintufrj, ocorrida na sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022, decide pelo posicionamento contra a guerra que ocorre na Ucrânia. Os interesses desse processo são de disputa por hegemonia geopolítica nos marcos do capitalismo.

Contra a intervenção da Rússia e Contra a intervenção da Otan, dos Estados Unidos e da União Europeia!
Contra a ascensão de movimentos nazifascistas na Ucrânia!
Toda a solidariedade ao povo trabalhador ucraniano!

– No Brasil, seguimos sob ataques ultraneoliberais e antidemocráticos por parte do governo autoritário de Bolsonaro e Guedes

– A crise não dá sinais de trégua e a política do governo federal – além de não resolver os problemas políticos, econômicos e sociais – aumenta a miséria, a fome e o desemprego. O aceno que Bolsonaro faz de reajuste, o último foi de R$400,00 no “vale-alimentação”, tem motivação eleitoreira e pode causar impacto nas categorias. O governo e suas táticas não devem ser desprezados.

– Considerando esse cenário, a principal tarefa do movimento da classe trabalhadora deve ser a derrota desse governo e de sua política. Para isso, se faz necessário construir mobilizações de rua e outras ações políticas que permitam a organização dos processos de luta – todos são essenciais.
Reforçar os calendários já postos, como o 8 de março e o 14 de março (data da morte de Marielle Franco), dentre outras, mas importante construir demais agendas que permitam esse acúmulo.

– Não devemos menosprezar o papel político e a capacidade de mobilização do processo eleitoral. Nesse sentido, defendemos pontos programáticos estratégicos que permitam aglutinar um conjunto de forças de esquerda para derrotar o governo de direita genocida e autoritário.

O processo de mobilização em nossa categoria tem sido muito difícil, por diversas razões. Além de debater essas dificuldades, para melhor combatê-las, devemos ter atenção aos sinais que a categoria tem dado. As atividades com maior participação foram as relativas à agenda interna. Todos estão indignados com a situação salarial. Assim sendo, o debate precisa ser tratado com a intensidade e o peso necessários.

Prontos programáticos a serem desenvolvidos:
Manifestação Nacional contra a Carestia, a fome e a miséria;

– revogação da emenda constitucional do teto de gastos:

– revogação da reforma trabalhista aprovada;

– construir a greve unificada dos servidores públicos federais;

– elaborar uma pauta específica sobre as questões ambientais;

– salário mínimo do dieese;

– recuperação do orçamento das universidades;

– FORA BOLSONARO!

 

 

COMENTÁRIOS