Weintraub passou de todos os limites

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

O ministro da Educação do governo Bolsonaro, Abraham Weintraub, passou de todos os limites. Em entrevista ao “Jornal da Cidade On Line”, Weintraub afirmou que as universidades públicas possuem “plantações extensivas de maconha” e que os laboratórios de Química produzem drogas sintéticas em larga escala. Weintraub não parou por aí: afirmou que as universidades são “madraças (escola muçulmana) de doutrinação” e que a autonomia universitária, prevista no artigo 207 da Constituição Federal, é uma falácia.

 

Weintraub deixou de ser “apenas” um bufão incompetente a disfarçar a própria indigência intelectual com fanfarronices nas redes sociais. O ministro cruzou uma perigosíssima fronteira ao atacar as universidades públicas – responsáveis por 95% da pesquisa científica produzida no país – e tentar transformá-las em organizações a serviço do tráfico internacional de drogas.

 

Weintraub merece todo o repúdio da sociedade. Não bastasse tentar destruir o ensino superior federal com a fraude do Future-se, o malfadado “projeto” de entrega das universidades ao capital financeiro, o ministro se comporta como um miliciano terraplanista nas redes sociais.

 

O discurso é criminoso – e isso não é apenas uma acusação retórica: a entrevista de Weintraub configura CRIME DE RESPONSABILIDADE, DIFAMAÇÃO, IMPROBIDADE e PREVARICAÇÃO. E não há diálogo possível com um bandido que não tem o menor pudor em cometer crimes para extravasar o ódio que sente da produção científica, do conhecimento, da comunidade acadêmica e da educação pública.

 

O Sintufrj reafirma seu repúdio ao ministro Weintraub e a defesa radical da universidade pública, gratuita e de qualidade, indispensável à soberania nacional e ao desenvolvimento econômico. Seguiremos em luta contra os porta-vozes do atraso e os inimigos do povo!

 

Sintufrj – Gestão Ressignificar

COMENTÁRIOS