Assembleia discute conjuntura e aprova plano de lutas

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

Intensificar a luta contra a reforma administrativa proposta pelo governo federal, que reduz o tamanho do Estado brasileiro e acaba com os serviços públicos e os servidores, e retomar a mobilização contra a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) que voltou à pauta da UFRJ, em nível local e nacional, foram as duas principais resoluções contidas no Plano de Lutas aprovado pela categoria, na assembleia desta segunda-feira, 30 de novembro, após o debate sobre a conjuntura.

O Plano de Lutas também será levado à plenária nacional da Fasubra, que ocorrerá nos dias 12 e 13 de dezembro, pelos sete delegados eleitos na assembleia. Outra deliberação da categoria foi em relação à proposta da direção sindical de encerrar 2020 homenageando com um culto ecumênico os colegas de trabalho que faleceram durante o ano e de reverter o que seria gasto com a live artístico-cultural em investimentos nas lutas aprovadas pela categoria e também em auxílio às famílias dos sindicalizados que perderam a vida com a Covid-19.

Plano de Lutas na íntegra

A DEFESA dos hospitais universitários públicos e contra a adesão à Ebserh

O fantasma da Ebserh ronda a UFRJ. Em função disso, é fundamental que os trabalhadores e trabalhadoras se organizem e que o Sintufrj e a Fasubra encaminhem:

1) A realização de um forte movimento unificado da UFRJ para barrar a Ebserh, organizando a luta através do Fórum de Mobilização e Ação Solidária (Formas), composto pelas entidades representativas dos trabalhadores e estudantes da UFRJ – Sintufrj, Adufrj, DCE Mário Prata, Associação dos Pós-Graduandos (APG) e Associação dos Trabalhadores Terceirizados da UFRJ (Attufrj).

2) A realização de uma campanha utilizando todas as formas de divulgação dessa luta (notas, vídeos, panfletos, faixas, entre outros meios).

3) Que essa luta seja organizada interna e externamente (aproveitando os fóruns de servidores contra a reforma administrativa, manifestações dos diversos movimentos sociais e campanhas das federações e centrais sindicais).

4) Que o Sintufrj leve à plenária da Fasubra a necessidade de realização de uma campanha nacional contra a Ebserh e a unidade com os fóruns nacionais e estaduais contra a privatização da saúde.

5) Que seja feito aos parlamentares do Rio e de outros estados um pedido de audiência pública para tratar da questão da Ebserh.

6) Buscar apoio para essa pauta durante o encontro de trabalhadoras e trabalhadores dos HUs a ser realizado no dia 5 de dezembro pela Fasubra.

7) Que o Sintufrj se posicione frente à Reitoria sobre a Ebserh e dê ampla publicidade sobre essa posição.

Resolução 1

A direção sindical já havia anunciado o cancelamento da live artístico-cultural, e a assembleia optou por utilizar os recursos que custeariam a atividade (80 mil reais) para financiar a campanha de lutas aprovada no ponto de conjuntura e destinar uma cesta de Natal ou um vale para as famílias dos servidores mortos pela Covid-19.

VEJA A ÍNTEGRA DA ASSEMBLEIA:

 

COMENTÁRIOS