HUCFF define contratação para atender casos de covid-19

Compartilhar:

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on whatsapp

A forma como se dará a contratação de pessoal para abertura dos 80 leitos de covid-19 no Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (60 de enfermaria, 20 de CTI), com recursos suplementares de cerca de R$ 16 milhões que deverão ser enviados pelo Ministério da Saúde, foi definida em reunião no dia 31 com participação da direção e representantes do ministério.

Estavam em tela duas possibilidades para viabilizar a contratação dos profissionais para abertura dos leitos: a utilização das fundações da UFRJ ou de empresas de recrutamento de Recursos Humanas selecionadas através da licitação que vem sendo realizada desde semana passada pela Pró-Reitoria de Gestão Governança (PR-6).

Na reunião, chegou-se à conclusão que a opção mais rápida e viável para agilizar o processo seria o envio do recurso diretamente para o hospital e aproveitar o pregão que a PR-6 está concluindo (com utilização das empresas selecionadas) para contratar os mais rápido estes recursos humanos.

Os recursos são para contratar o pessoal para o suporte ao funcionamento dos 80 leitos por 60 dias, prazo que o diretor Marcos Freire acredita poder estender por mais 30. E ele ainda pretende tentar renovar o contrato por mais 90 dias.

Segundo a assessoria de imprensa, será necessária a contratação de 600 novos profissionais.

Os leitos já estão equipados e mantidos desde a época que foram fechados com o afastamento de cerca de 850 terceirizados, em dezembro, e assim podem ser abertos de imediato.

Na época foram fechados 110 leitos; 40 só de CTI. Agora, como explicou o diretor, serão abertos 80: 60 de enfermaria e apenas 20 de CTI.

Prazo

O diretor estima que, como o pregão foi semana passada e ainda há possibilidade de alguma firma recorrer ou haver nova classificação (alguma firma pode ser desclassifica por problema na documentação), os procedimentos podem estar em fase de conclusão ainda esta semana. Concluídos, já se poderia partir para a contratação, o que também depende, lembrou Freire, da chegada do recurso financeiro.

Além do diretor geral e dos diretores do Setor Financeiro, de Recursos Humanos, da Divisão Médica do HUCFF, participaram da reunião o pró- reitor da Pró-Reitoria de Gestão e Governança, André Esteves s o superintendente Rodrigo Figueiredo, o superintendente da Pró-Reitoria de Planejamento Desenvolvimento e Finanças, George Pereira, o secretário Executivo do Mistério da Saúde Rodrigo Cruz e o da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde, Sérgio Okani.

 

 

 

COMENTÁRIOS