Quinta-feira, 29 de novembro das 10h às 14h

Anfiteatro do Sal√£o Nobre IPPMG

Pauta: conjuntura e os cen√°rios de ataque √† carreira, √† universidade e ao servi√ßo p√ļblico anunciados pelo novo governo. Elei√ß√£o dos delegados √† Plen√°ria Nacional da Fasubra.

A Reitoria já iniciou o envio das primeiras listagens com o cálculo dos valores que os servidores que estão na ação dos 26,06% referente ao Plano Bresser têm a receber. A listagem é imediatamente publicada no site do Sindicato (sintufrj.org.br), que a atualiza todas as vezes que chega uma nova lista de servidores.

 

[O PORTAL]

 

Esta ação que o Sintufrj ganhou corresponde ao percentual que deixamos de receber no período de 17 de julho de 1987 a 11 de dezembro de 1990. À época (governo Sarney) existia um gatilho acionado sobre os salários toda vez que a inflação atingia um determinado patamar.

A ação movida pelo Sindicato foi para recuperar a diferença gerada pelo gatilho que deixamos de receber.

Repetindo: o pagamento desses atrasados corresponde ao período de 17 de julho de 1987 a 11 de dezembro de 1990. Naquela época, só existia a Asufrj, e somente os associados eram representados pela associação. Por esta razão, à época desse processo judicial (Plano Bresser) o juiz pediu que fosse anexado a ele a listagem oficial dos associados até maio de 1991. Essa listagem de associados foi elaborada pela Reitoria.

Como j√° informamos, a Reitoria aceitou a solicita√ß√£o do Sintufrj para que esta efetivasse os c√°lculos para os sindicalizados. Como o n√ļmero de servidores √© grande, a listagem com os c√°lculos est√° sendo enviada gradualmente.

 

O PORTAL

A dire√ß√£o do Sindicato, com apoio t√©cnico da assessoria jur√≠dica, criou um portal (veja o link abaixo) na internet para facilitar o acesso dos servidores interessados na a√ß√£o. Nesse portal ser√£o encontradas informa√ß√Ķes mais detalhadas sobre o processo e, important√≠ssimo, o passo a passo da execu√ß√£o para o recebimento dos atrasados.

 

COMO FAZER

Atenção sindicalizados para a lista da ação vitoriosa dos 26,06% do Plano Bresser:

1 ‚Äď Para promovermos a execu√ß√£o em seu nome, o escrit√≥rio necessitar√° de seus dados cadastrais pessoais e c√≥pia dos documentos (identidade, CPF, comprovante de endere√ßo e 1 contracheque atual), que devem ser digitalizados e entregues no portal http://2606-sintufrj.servidor.adv.br/login .

2 ‚Äď Al√©m disso, √© necess√°ria a procura√ß√£o para os advogados atuarem. A procura√ß√£o j√° preenchida est√° dispon√≠vel neste portal. A procura√ß√£o deve ser impressa, assinada, ter a firma reconhecida, ser digitalizada e entregue no portal.

3 ‚Äď Depois, a procura√ß√£o original deve ser entregue na sede do sindicato (na Av. Brigadeiro Trompowsky, Pra√ßa Jorge Machado Moreira, s/n¬ļ, Ilha do Fund√£o, Rio de Janeiro).

 

 

Os desafios que duas mulheres negras eleitas em outubro v√£o enfrentar no plen√°rio da Assembleia Legislativa, numa conjuntura adversa para a pauta dos interesses populares, foi o tema da roda de conversa organizada pelo Sintufrj ‚Äď como atividade do M√™s da Consci√™ncia Negra.

 

Nascida e criada na Mar√©, Renata Souza (PSOL), a parlamentar mais votada no campo da esquerda (63 mil votos), sintetizou o tamanho do risco: ‚Äúimpedir que a barb√°rie vire pol√≠tica p√ļblica‚ÄĚ ser√° o desafio.

 

Quando o governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, p√Ķe na pauta a pol√≠tica de exterm√≠nio para enfrentar a viol√™ncia, e tem irrestrito apoio do presidente eleito, o cen√°rio temer√°rio se apresenta.

 

M√īnica Francisco (PSOL), com base de atua√ß√£o no Morro do Bor√©u, compartilha das preocupa√ß√Ķes de Renata. Mas observou um contraponto no cen√°rio. Segundo ela, a elei√ß√£o de mais mulheres negras √© a resposta social aos que repugnam corpos negros nos espa√ßos de poder.

 

Impedir a barbárie é o desafio

Mulheres negras falam do desafio da atuação no Parlamento estadual

Mas a deputada eleita diz que a representatividade dos mandatos só se justifica se for lastreada nas pautas que defendem.

 

A presen√ßa das duas futuras parlamentares marcou o encerramento das atividades do rec√©m-criado Departamento de Ra√ßa e G√™nero, criado pelo Sintufrj. Noemi de Andrade, diretora, e Denise G√≥es, ativista do movimento negro, conduziram, na quinta-feira 22, o encontro com Renata e M√īnica Francisco.

 

Além do debate, uma oficina de turbante enfeitou com adereços coloridos várias mulheres presentes ao evento. Exposição de peças artesanais com motivos afros e uma feijoada fizeram parte do cardápio.

 

O bloco afro Agbara Dudu, fundado em 1982, em Madureira, encerrou as atividades. No repert√≥rio, can√ß√Ķes tradicionais africanas. ‚Äú√Č uma alegria muito grande estar aqui, trazendo muita m√ļsica e arte para o p√ļblico‚ÄĚ, disse o componente do grupo Julvano Martins.

 

Aliança progressista

 

Renata Souza, que foi aluna da UFRJ e estagiária do Sintufrj, teme que o medo seja a mola condutora da barbárie enquanto política de Estado.

Ela aposta, no entanto, na forma√ß√£o de um campo progressista para conseguir barrar os retrocessos e as a√ß√Ķes parlamentares que possam vir a ferir a integridade f√≠sica e moral dos indiv√≠duos pertencentes √†s minorias sociais.

 

Ela lamenta também o cerceamento e as ameaças que pairam sobre a autonomia dos professores e deseja que a universidade seja o universo da cidade, não fechada em si.

 

Para M√īnica, o per√≠odo que √© anunciado para o Rio de Janeiro e para o Brasil exigir√° de n√≥s¬† muitos esfor√ßos para garantir a manuten√ß√£o dos direitos conquistados. ‚ÄúAs institui√ß√Ķes de educa√ß√£o passam por uma desqualifica√ß√£o dos processos intelectuais, onde se filma professores e tentam cercear o pensamento cr√≠tico‚ÄĚ, afirmou.

Edital

Dia: 13/12/2018.

Local: Casa de Festas Lajedo

Endereço: Vargem Pequena

Horário: 12h às 18h

Inscrição: Será feita on line através do site do Sintufrj. No ato da inscrição o sindicalizado deverá informar o local de retirada do passaporte: sede no Fundão, das 9h às 17h, subsede na Praia Vermelha, das 10h às 18h ou subsede no HU das 8h  às 17h. Após finalizar a inscrição o sindicalizado deverá imprimir o comprovante de inscrição.

Período de inscrição: 19 a 30 de novembro de 2018.

Período de entrega dos passaportes: 7, 10 e 11 de dezembro de 2018. A  entrega só será feita ao próprio, munido de comprovante de identidade com foto.

Transporte: Ser√° feita a confer√™ncia na entrada do √īnibus, portanto, √© extremamente necess√°ria a apresenta√ß√£o do passaporte com o comprovante de identidade com foto.

Haver√° √īnibus saindo da sede do Sintufrj, na Cidade Universit√°ria e na Praia vermelha. O hor√°rio de sa√≠da dos √īnibus ser√° as 10:30hs.

A mesma conferência será realizada no local do evento para quem utilizar outros meios de transporte.

[FAZER INSCRIÇÃO]  [IMPRIMIR CONFIRMAÇÃO]

 

[Atualiza√ß√£o] Errata: erramos ao informar a data anterior de encerramento das inscri√ß√Ķes para a festa de confraterniza√ß√£o dos sindicalizados. O correto √© de 19 a 30 de novembro.

 

 

Especializado em hist√≥ria da √Āfrica, o professor Jorge Nascimento sustenta a tese que identifica o racismo como uma cria√ß√£o para subjugar os negros e legitimar seu genoc√≠dio. ‚ÄúO racismo antes de tudo √© um sistema de poder que visa o exterm√≠nio da popula√ß√£o negra no mundo‚ÄĚ, diz ele.

 

Nascimento participou do debate ‚ÄúA hist√≥ria do racismo e seus impactos na contemporaneidade‚ÄĚ no Instituto de Filosofia e Ci√™ncias Sociais (IFCS), uma das atividades do M√™s da Consci√™ncia Negra, organizado pelo Sintufrj. Mediou o encontro a coordenadora do Sindicato Noemi Andrade.

 

Rodrigo Santos, o outro debatedor convidado pelo Sindicato, é pesquisador do tema na UFRJ. Ele chamou a atenção para o reforço do racismo de acordo com o pensamento intelectual tradicional, que desqualificou e renegou a população negra.

Segundo Santos, em textos registra-se que os negros não têm sentimentos, não têm talento, e de tão matraqueiros deveriam ser dispensados a pauladas.

 

Eurocentrismo

No debate, Jorge Nascimento destacou que a vis√£o oficial euroc√™ntrica ‚Äď a partir dos brancos europeus ‚Äď destituiu o real valor do continente e de seu povo para a hist√≥ria da humanidade.

 

Segundo ele, o eurocentrismo exibiu, por exemplo, a civiliza√ß√£o eg√≠pcia como sendo a de um povo branco, sendo ela reverenciada, mas os historiadores revisionistas comprovaram que se tratava de povos de pele negra ‚Äď constitu√≠dos da mistura de v√°rios povos africanos existentes ao sul e ao norte do vale do rio Nilo.

 

O professor explicou que a √Āfrica √© um continente antigo, e nela existiram grandes reinos africanos. Algumas grandes chefias, consideradas Estados tradicionais, s√£o conhecidas desde o s√©culo IV, mas desconstruiu-se a hist√≥ria desses povos atrav√©s de uma vis√£o pejorativa e preconceituosa sobre o continente africano. E isso prepondera at√© hoje.

 

‚ÄúO negro n√£o sabe da sua hist√≥ria, a n√£o ser pela vis√£o do europeu. Suas contribui√ß√Ķes na filosofia, na medicina, na matem√°tica s√£o colocadas na conta dos gregos‚ÄĚ, diz.

 

Nascimento afirma que a história oficial torna os negros invisíveis, quando não inferiores, o que fragiliza sua autoestima. Conhecer a história africana, disse, é também saber os caminhos que foram tomados para se chegar à liberdade.

 

‚ÄúN√≥s africanos fomos alijados de conhecer nossa pr√≥pria hist√≥ria. Digo que nenhum branco foi respons√°vel pela nossa liberta√ß√£o, coube isso a n√≥s negros‚ÄĚ, sublinhou.

 

√ďdio e medo

O pesquisador Rodrigo Santos afirma que o racismo √© um poder que mobiliza as energias do corpo e est√° relacionado ao √≥dio e ao medo. ‚ÄúUm √≥dio que gera impulsos de assassinatos, de destrui√ß√£o e viol√™ncia. Um medo que leva o povo ariano ao massacre pela exist√™ncia da diferen√ßa‚ÄĚ.

De acordo com Santos, o capitalismo se apropriou desses sentimentos para justificar o massacre para a expropria√ß√£o. E tem no racismo estrutural o alicerce para as pol√≠ticas econ√īmicas e sociais excludentes e predat√≥rias.

 

Rodrigo Santos afirma que n√£o h√° o desejo de se reverter essa situa√ß√£o na nossa sociedade, mas que cabe √†queles que defendem a igualdade a luta pela mudan√ßa. ‚ÄúCorpos negros s√£o alvo. Est√£o na mira do fogo. √Č o racismo institu√≠do. Por isso, o combate ao racismo precisa acontecer em todas as frentes, com as associa√ß√Ķes, grupos culturais, universidades e sociedade civil, defendeu. ‚ÄúN√£o podemos esperar da institucionalidade e dos governos qualquer medida que nos contemple‚ÄĚ, finalizou.

Ruy de Azevedo e Ivania de Jesus Severo, integrantes da Coordena√ß√£o de Pol√≠ticas Sociais do Sintufrj, festejaram o √™xito dos eventos que marcaram o M√™s da Consci√™ncia Negra com debates, exposi√ß√Ķes artesanais, oficina e turbantes e uma roda de conversa com deputadas negras eleitas em outubro. Os dois dirigentes disseram que o objetivo de marcar posi√ß√£o contra o racismo foi alcan√ßado.

Quem ainda n√£o pagou a mensalidade do plano de sa√ļde Amil que venceu no dia 5. O boleto est√° dispon√≠vel no site da AllCare: www.allcare.com.br. Ou, se preferir, fa√ßa contato com a administradora pelos seguintes canais de atendimento: e-mail: faleconosco@allcare.com.br, chat: http://allcare.com.br/contato/ ou pelo SAC: 3003-6400.

Acesse o portal aqui

‚ÄúN√£o consigo entrar no portal (espec√≠fico sobre o assunto), apesar do meu nome estar na lista dos beneficiados com a a√ß√£o‚ÄĚ.

Resposta: Quem está com nome na lista só vai conseguir entrar no portal quando o seu cálculo tiver sido informado pela Reitoria e conferido pelo calculista. Isso irá acontecer semanalmente. Publicaremos a lista dos nomes que nos forem enviados.

Observação: Se não for sindicalizado, o servidor, mesmo estando na listagem, não consegue entrar no portal.

 

‚ÄúMeu nome est√° na listagem da Reitoria dos que j√° t√™m o c√°lculo feito. E agora?‚ÄĚ

O Sindicato criou um portal para facilitar informa√ß√Ķes a todos os servidores beneficiados no processo. Acesse o portal:

http://2606-sintufrj.servidor.adv.br/login

 

Para promovermos a execução em seu nome, o escritório necessitará dos seus dados cadastrais pessoais e cópia dos seguintes documentos, os quais devem ser digitalizados e entregues neste portal: identidade, CPF, comprovante de endereço e contracheque atual.

Além disso, é necessária a procuração para os advogados atuarem. A procuração já preenchida está disponível neste portal. A procuração deve ser impressa, assinada, ter a firma reconhecida, ser digitalizada e entregue no portal.

Depois, a procura√ß√£o original deve ser entregue na sede do Sindicato (na Av. Brigadeiro Trompowsky, Pra√ßa Jorge Machado Moreira, s/n¬ļ, Ilha do Fund√£o, Rio de Janeiro).

 

Plano Bresser ‚Äď 26,06%

Passo a passo

РVerifique se seu nome está na listagem dos beneficiados pela ação judicial do Sintufrj, acessando o site do Sindicato: www.sintufrj.org.br

РAcesse o portal http://2606-sintufrj.servidor.adv.br/login Se aparecer CPF inválido é porque seus cálculos ainda não foram realizados pela Reitoria.

РSempre que puder consulte regularmente o site (www.sintufrj.org.br ) para ver se seu nome consta nesta lista enviada pela Reitoria, que é atualizada regularmente.

РMesmo com o nome constado na lista de beneficiados da ação judicial, o servidor só vai conseguir entrar no portal quando o seu cálculo tiver sido informado pela Reitoria.

РObservação: Se não for sindicalizado, mesmo estando na listagem, o servidor não conseguirá entrar no portal.

РCom seu nome na listagem da Reitoria dos que já têm o cálculo feito, entre no portal preparado para os beneficiados no processo no site do Sindicato (www.sintufrj.org.br), clicando em http://2606-sintufrj.servidor.adv.br/login

РO escritório necessitará dos seus dados cadastrais pessoais e cópia dos seguintes documentos, os quais devem ser digitalizados e entregues neste portal: identidade, CPF, comprovante de endereço e contracheque atual.

РAlém disso, é necessária a procuração para os advogados atuarem. A procuração já preenchida está disponível neste portal. A procuração deve ser impressa, assinada, ter a firma reconhecida, ser digitalizada e entregue no portal.

– Depois, a procura√ß√£o original deve ser entregue na sede do Sindicato (na Av. Brigadeiro Trompowsky, Pra√ßa Jorge Machado Moreira, s/n¬ļ, Ilha do Fund√£o, Rio de Janeiro).