A expectativa dos organizadores é superar os atos do mês passado. No #29M, mais de 200 cidades brasileiras registraram protestos

A mobilização para o 19J cresce a cada dia. Pelo menos 180 cidades no Brasil já confirmaram a realização de manifestações, no sábado, 19 junho, contra o governo Bolsonaro. E a lista deve aumentar ao longo dos próximos dias. A data é marcada pela hashtag #19J #ForaBolsonaro e ou #19JForaBolsonaro. 

No exterior, as mobilizações começam ainda na sexta-feira, 18, e vão até o domingo. Na própria sexta, a CUT e demais centrais sindicais discutirão a pauta trabalhista e a realidade do país com os trabalhadores em seus locais de trabalho. 

Intensa mobilização pela vida

No 19J, além de tomar as ruas e as redes sociais pelo impeachment de Bolsonaro, a manifestação exigirá vacinação imediata e a volta do auxílio emergencial de R$ 600 enquanto durar a pandemia. #ForaBolsonaro e “Vacina no braço, comida no prato” são as palavras de ordem que resumem o espírito das manifestações. O setor da educação estará em peso nas ruas  contra os cortes nas universidades promovido por Bolsonaro.

A educação – uma das áreas mais atacadas pelo governo Bolsonaro — está toda mobilizada. Estão se organizando profissionais da educação, trabalhadores da educação e estudantes de norte a sul do país contra os cortes nas universidades, por vacina e por #ForaBolsonaro. 

Desta vez, até estudantes do ensino básico do Colégio Pedro II, entre outras instituições públicas de ensino, além dos universitários estarão presentes na manifestação no Rio de Janeiro, acompanhados de pais e professores.

No Rio de Janeiro, a manifestação começará no Monumento a Zumbi dos Palmares, na Avenida Presidente Vargas (altura do terreirão) e culminará na Igreja da Candelária. A expectativa é que seja uma das maiores. 

Reagir para não fechar 

As universidades e institutos federais no Brasil, assim como no Rio, correm o risco de fechar por falta de recursos, e no caso da UERJ o golpe veio do deputado bolsonarista, Anderson Moraes (PSL-RJ), que protocolou um pedido de extinção da instituição, argumentando gasto e aparelhamento ideológico.

A UFRJ estará em bloco na manifestação reunindo toda a sua comunidade universitária. As entidades sindicais e estudantis que representam a comunidade universitária – Sintufrj, Adufrj, DCE Mário Prata, APG e Attufrj – estão unidas na defesa da instituição. O local de encontro é ao lado da cabeça do Monumento a Zumbi dos Palmares, às 10h.   

A organização dos atos segue a todo vapor com reuniões e mutirões para confecção de camisas e cartazes. No dia 14 houve plenária de organização da Frente de Entidades da Baixada Fluminense. A organização também reforça a obrigatoriedade do uso de máscara, álcool gel e do distanciamento social, de modo a coibir a disseminação do novo coronavírus.

Confira as cidades com atos no 19J:

Rio de Janeiro

RJ – Angra dos Reis – Praça do Papão | 9h
RJ – Barra do Piraí – Carreata Rua Angélica (Light) | 8h30
RJ – Barra Mansa | (aguardando informe)
RJ – Bom Jesus de Itabapoana | Praça Governador Portela | (aguardando informe)
RJ – Campos – Praça São Salvador | 9h
RJ – Itaperuna | Concha Acústica | 16h
RJ – Macaé – Praça Veríssimo de Melo | 9h30
RJ – Nova Friburgo – Praça Demerval Barbosa | 14h
RJ – Nova Iguaçu – Praça Direitos Humanos Via Light | 9h
RJ – Petrópolis | Praça da Inconfidência | 11h
RJ – Resende – Mercado Popular | 10h
RJ – Rio das Ostras – Posto de saúde da Família Âncora | 9h
RJ – Rio de Janeiro – Monumento Zumbi dos Palmares até Candelária | 10h
RJ – Santo Antônio de Pádua | (aguardando informe)
RJ – Teresópolis | Praça do Sakura | 9h
RJ – Valença – Jardim de Cima | 10h
RJ – Volta Redonda – Vila UFF | 9h

ES, MG e SP

ES – Vitória – Carro, Bike e a pé UFES até Assembleia Legislativa | 15h
MG – Alfenas – Praça da Rodoviária Antiga | 15h30
MG – Araguari – em frente ao Bosque John Kennedy |10h
MG – Barbacena – em frente à Policlínica | 10h
MG – Belo Horizonte – Praça da Liberdade até Praça da Estação | 13h30
MG – Betim – Viaduto do Jacintão | 9h
MG – Brumadinho- Concentração no Letreiro e caminhada até a Praça da Rodoviária | 10h
MG – Campo Belo – Praça dos Expedicionários | 9h30
MG – Caratinga – Praça da Estação | 15h
MG – Conselheiro Lafaiete – Praça Barão de Queluz | 13h
MG – Divinópolis – Rua São Paulo | 9h
MG – Divinópolis – Praça Santuário | 10h
MG – Governador Valadares – Praça da Estação | 10h
MG – Ipatinga Praça Primeiro de Maio | 9h
MG – Itabira – Rodoviária | 9h
MG – Itaúna – Praça da Matriz | 9h
MG – Juiz de Fora – Parque Halfeld | 10h
MG – Lafaiete – Praça Barão de Queluz | 13h
MG – Lavras – Praça Dr. Augusto Silva | 10h
MG – Montes Claros – Praça do automóvel clube | 9h
MG – Muriaé – Parque de Exposições | 9h
MG – Ouro Preto – Praça Tiradentes | 10h
MG – Passos – Estação Cultura | 10h
MG – Ribeirão das Neves – Praça de Justinópolis | 9h
MG – São Sebastião do Paraíso – Carreata – Rua José Braz Neves n° 100 | 15h
MG – São João Del Rei – Em frente ao Dom Bosco | 10h
MG – São Lourenço – Calçadão II | 14h30
MG – Sete Lagoas – Praça Tiradentes | 9h
MG – Ubá – Av. Comendador Jacinto Soares de Souza Lima | 15h30
MG – Uberaba – Praça Rui Barbosa | 9h
MG – Uberlândia – Praça Ismene Mendes | 9h30
MG – Varginha – Praça do ET | 10h
MG – Viçosa – 4 Pilastras | 9h30
SP – Bauru – Praça Rui Barbosa | 14h
SP – Campinas – Caminhada Largo do Rosário até Centro | 10h
SP – Caraguatatuba – (aguardando informe)
SP – Carapicuíba – Ato Simbólico na Vila Dirce e ida à Av. Paulista | 10h
SP – Diadema – Terminal Diadema | 14h SP – Ilhabela – Praça da Mangueira | 15h
SP – Indaiatuba – Av. Francisco de Paula Leite esquina do SESI em frente ao posto BR | 14h SP – Jacareí – Pátio dos Trilhos – 9h30 SP – Jaú – Em frente ao Cemitério | 9h
SP – Laranjal Paulista – Carreata Cemitério da Saudade | 13h30 e Ato Simbólico Largo São João | 14h30
SP – Lorena – Praça Arnolfo Azevedo | 9h
SP – Piracicaba – Praça José Bonifácio | 10h
SP – Ribeirão Preto – Passeata Esplanada do Teatro Pedro II | 9h
SP – Santo André – Praça do Carmo | 10h
SP – Santo André – Paço Municipal | 13h
SP -São Bernardo – Carreata Rua Odeon (Colégio Vereda atrás do Terminal Ferrazópolis) | 10h
SP – Santos – Estação da Cidadania | 16h
SP – São José dos Campos – Praça Afonso Pena | 9h
SP – São Luiz do Paraitinga – Carreata – Bairro do Orris | 15h
SP – São Paulo – MASP | 16h
SP – São Sebastião – Costa Sul – Praça Por do Sol – Boiçucanga | 16h
SP – Sorocaba – Praça Coronel Fernando Prestes (Catedral) | 10h
SP – Taubaté – Bolsão Avenida do Povo | 9h
SP – Ubatuba – Rotatória do Pescador | 16h
SP – Osasco – Caminhada Rua Antônio Agu/Estação de Osasco | 13h30

Norte

AC – Rio Branco – Passeata Gameleira até o Palácio Rio Branco | 15h
AM – Manaus – Passeata Praça da Saudade | 15h
AP – Macapá – Praça da Bandeira | 16h
PA – Belém – Caminhada Mercado de São Brás até Praça da República | 8h
PA – Santarém – Praça São Sebastião | 16h
RO – Guajará-Mirim – Parque Circuito | 9h
RO – Ji-Paraná – Casa do Papai Noel | 9h
RO – Porto Velho – Passeata Praça das 3 caixas d’água | 8h
RO – Porto Velho – Carreata 7 de setembro com a Farquar | 8h
RR – Boa Vista – Carreata e ato Centro Cívico até Jaime Brasil | 9h
TO – Palmas – JK Entrada Leste do Palácio Araguaia (Lado da Serra) | 8h30

Nordeste

AL – Maceió – Carro, moto ou a pé Praça Centenário | 9h
AL- Palmeira dos índios – Praça São Cristovão | 9h
BA – Jacobina – Praça do Garimpeiro | 8h30
BA – Jequié – Praça Ruy Barbosa | 9h
BA – Feira de Santana – (Aguardando informe)
BA – Paulo Afonso – Carreata | 9h (Aguardando informe)
BA – São Luís do Curu – Saída de ônibus rumo à Fortaleza (Aguardando infos)
BA – Salvador – Largo do Campo Grande até Farol da Barra | 14h
BA – Serrinha – Carreata | 14h (Aguardando Informe)
BA – Vitória da Conquista – Praça 09 de Novembro | 8h30
CE – Fortaleza – Av. Leste Oeste Santa Edwiges | 15h
CE – Fortaleza – Praça da Gentilândia | 15h30
CE – Tianguá (Região da Ibiapaba) – Em frente ao Mix Atacarejo | 7h
PE – Recife – Praça do Derby indo pela Conde da Boa Vista até Guararapes | 9h
PB – Campina Grande – Praça da Bandeira | 9h
PB – Cajazeiras – Praça das Oiticicas | 9h
PB – João Pessoa – Caminhada e carreata Lyceu Paraibano, rumo ao ponto de Cem Réis | 9h
PI – Piripiri – Praça da Bandeira | 10h
PI – Teresina – Praça Rio Branco | 8h
RN – Mossoró | praça Cícero Dias em frente ao Teatro Municipal | 16h
RN – Natal – Midway Mall até Natal Shopping Center | 15h
SE – Aracaju – Praça da Bandeira | 9h
SE – Itabaiana – Carreata, Calçadão Airton Teles (Anfiteatro) | 16h

Centro-Oeste

DF – Brasília – Carreata Praça do Buriti (até a Esplanada) | 8h
DF – Brasília – Caminhada Biblioteca Nacional | 9h
GO – Cidade de Goiás – Praça do Chafariz | 9h30
GO – Goiânia – Caminhada e Carreata Praça Cívica | 9h
MT – Cuiabá – Prainha – Ato Simbólico | 6h
MT – Cuiabá – Carreata SESC Arsenal – Sentido Santa Isabel | 8h
MT – Cuiabá – Praça Alencastro | 11h
MS – Bonito – Praça da Liberdade | 16h
MS – Campo Grande – Praça do Rádio | 9h
MS – Corumbá – Concentração na Frei Mariano com a Dom Aquino | 8h30
MS – Dourados – Praça Antônio João | 9h30
MS – Três Lagoas – Praça do Relógio | 9h

Sul

PR – Curitiba – Praça Santos Andrade | 15h
PR – Londrina – Em frente ao Teatro Ouro Verde | 16h
PR – Ponta Grossa – Praça Barão de Guaraúna | 15h
RS – Porto Alegre – Ato 150 anos da CARRIS (aguardando informe)
RS – Porto Alegre – Largo Glênio Peres | 15h
RS – Porto Alegre – Mercado Municipal em marcha até Largo Zumbi dos Palmares | 15h
RS – Caçapava do Sul – Caminhada a partir das 15h com saída da praça do Noca até o largo da matriz.
SC – Araranguá – Relógio do Sol | 9h
SC – Blumenau – Praça do Teatro Carlos Gomes | 10h
SC – Brusque – Ato distribuição de máscaras e arrecadação de alimentos Praça Gilberto Colzani (Praça do Chafariz) | 10h
SC – Chapecó – Praça Coronel Bertaso em frente à Catedral | 9h30
SC – Criciúma – Praça da Chaminé | 9h
SC – Florianópolis – Praça Tancredo Neves (Praça da ALESC) | 9h
SC – Garopaba – Carreata e Bicicletada Rua Álvaro E. Nascimento | 15h
SC – Itajaí – Calçadão da Hercílio Luz | 10h
SC – Joinville – Praça da Bandeira | 10h
SC – Lages – Praça João Costa (Calçadão) | 15h
SC – Rio do Sul – Ato e Arrecadação de alimentos Praça Ermembergo Pellizzetti | 9h30
SC – São Miguel do Oeste – Ato no Trevo | 10h
SC – Tubarão – Carreata e Caminhada Praça da Arena Multiuso | 13h30
SC – Xanxerê – Ato na Praça | 9h30

Atos no Exterior

18/6
EUA – Washington – Consulado do Brasil em Washington – 1030 15th St NW | 12h (horário local)

19/6
Alemanha – Berlim – Pariser Platz Brandenburger Tor | 11h45 (horário local)
Alemanha – Colônia – Roncalli Platz | 16h (horário local)
Alemanha – Frankfurt – Romënberg (descer na Estação Römer)| 15h (horário local)
Alemanha – Leipzig – (aguardando infos)
Alemanha – Munique – Geschwister-Scholl-Platz | 16h (horário local)
Bélgica – Bruxelas – em frente à Embaixada do Brasil | 16h (horário local)
Canadá – Montreal – no Monument à George-Étienne Cartier| (aguardando infos)
Canadá – Quebec – (aguardando infos)
Dinamarca – Aarhus – Mølleparken | 15h (horário local)
Espanha – Madrid – Saída de Cibeles até Sol| 18h (horário local)
Espanha – Barcelona – (Aguardando Informe)
Espanha – Palma de Maiorca – Parc de la Mar (em frente ao Painel Joan Miró) | 20h (horário local)
EUA – Nova York – Union Square| 16h (horário local)
EUA – Boston – Consulado do Brasil em Boston| 14h (horário local)
EUA – Chicago – (aguardando informe)
EUA – Los Angeles – em frente ao Federal Building (11000 Wilshire Blvd, LA) | 10h (horário local)
EUA – Flórida – Delray Beach | 9h
EUA – Flórida – Deerfield Beach | 10h
França – Paris – (aguardando informe)
Grécia – Atenas – (aguardando informe)
Holanda – Amsterdam – Dam 1 | 14h30
Inglaterra – Londres – Embaixada do Brasil | 12h
Inglaterra – Londres – Embaixada do Brasil | 14h
Inglaterra – Oxford – Fernando’s Cafe City Center | 13h
Irlanda – Dublin – Spire| 10h
Irlanda – Cork – Dount Square| 10h
Irlanda – Galway – Spanish Arch | 14h
Itália – Bolonha – (aguardando infos)
Portugal – Coimbra – Praça 8 de Maio | 11h
Portugal – Lisboa – Parque Eduardo VII (Junto à Bandeira de Portugal) | 15h30 (horário local)
Portugal – Porto – Centro Português de Fotografia, Largo Amor de Perdição | 16h
Portugal – Porto – Av. dos Aliados | 18h
Reino Unido – Londres – Embaixada do Brasil | 12h
Reino Unido – Londres – Embaixada do Brasil | 14h
Reino Unido – Oxford – Fernando’s Cafe City Center | 13h
República Tcheca – Praga – Národnímu Muzeu | 15h
Suíça – Zurich- LandesMuseum| 11h
Suíça – Genebra – (aguardando infos)

20/6
Itália – Roma – Piazzale Del Verano 20h

 

 

Com o avanço da PEC 32/2020, a proposta de reforma administrativa de Jair Bolsonaro, no Congresso Nacional – agora ela está em fase de análise em uma comissão especial da Câmara dos Deputados – e a campanha ferrenha do governo para convencer a população de que a intenção é para acabar com “privilégios” do funcionalismo e “modernizar” a máquina pública, é mais do que necessário nos informarmos sobre o que realmente está por trás do interesse do governo Bolsonaro em promover “economia” e “beneficiar” a população.

A comissão especial é de maioria governista, seu presidente, o deputado Fernando Monteiro (PP-PE), é um empresário e o relator, Arthur Oliveira Maia (DEM-BA), joga no time de Guedes e companhia. Arthur Maia tem experiência em dinamitar direitos, ele foi relator, na Câmara Federal, da Lei da Terceirização (oriunda do PL 4.330/04) e da reforma da Previdência proposta pelo governo Temer. Foi vice-líder do governo Temer, na Câmara, e relatou em plenário e na comissão mista, o projeto que deu origem à Lei 13.303/16, que dispõe sobre o Estatuto Jurídico da Empresa Pública, da Sociedade de Economia Mista e de suas subsidiárias, no âmbito da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

A comissão voltará a se reunir nesta quarta-feira, 16, às 14h30, para a apresentação do plano de trabalho, deliberação de requerimentos e eleição dos vice-presidentes. O colegiado será composto por 34 integrantes titulares e 34 suplentes. A comissão terá até 40 sessões do plenário da Câmara para emitir um parecer. Pressionar cada integrante desta comissão é tarefa de todos os servidores públicos.

Como faço para pressionar os deputados da Comissão Especial?

Acesse este endereço eletrônico https://napressao.org.br/campanha/diga-nao-a-reforma-administrativa da CUT e encontrará o caminho das pedras, ou seja, os nomes dos parlamentares e o passo a passo para sua mensagem chegar até eles. É Napressão!, companheiras e companheiros. 

Cartilha 

A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef) produziu uma cartilha para explicar os perigos da reforma administrativa. “Serão necessárias ações efetivas para derrotar essa “reforma” que ataca brutalmente os direitos dos servidores federais, estaduais e municipais (atuais, futuros e aposentados) e pretende sucatear e desmontar os serviços públicos que são do interesse de todo o povo trabalhador. Além de forjar a unidade de todos os servidores, é preciso dialogar e ganhar os setores da população que dependem dos serviços públicos para a luta contra a reforma que une Guedes e Arthur Lira na linha do “estado mínimo”, diz o texto da cartilha.

Leia, entenda e passe adiante

Confira algumas explicações publicadas na cartilha sobre o que é de fato a PEC 32/2020. Leia, entenda e converse com seu colega, sua família, seus amigos. Não se trata de quebrar “benesses” do funcionalismo, mas sim transformar os serviços gratuitos para a maioria da população em serviços pagos. E para os trabalhadores públicos significa a retirada de direitos, fruto de conquistas do funcionalismo. Vamos começar pelas alterações propostas para os servidores:

O governo e a imprensa falam que somente os novos servidores serão atingidos. Isso é verdade? Como ficam aposentados e pensionistas?

Não. A reforma atinge todos, novos e futuros. Ativos e aposentados. Mesmo que num primeiro momento somente os novos não teriam direito à estabilidade, os atuais seriam submetidos a avaliações de desempenho subjetivas. Na medida em que os novos estariam submetidos a todo tipo de pressão, pois não teriam estabilidade, os atuais seriam submetidos a avaliações de desempenho com critérios subjetivos que permitirão avaliações com cunho ideológico por parte da chefia de plantão, acarretando, certamente, perseguições, em especial a quem defenda os direitos coletivos e individuais. 

A atual legislação já prevê a demissão dos servidores estáveis, mas o que o governo busca na verdade é um instrumento de pressão e ameaça permanente. 

Aposentados e pensionistas também seriam atingidos pelo fim da paridade e integralidade (os que têm direito), pois a paridade seria vinculada a carreiras em extinção. Da mesma forma, a remuneração ligada à premiação por produtividade tira, por definição, a possibilidade de os aposentados receberem e aumentará a diferença salarial entre ativos e inativos. 

Os atuais servidores e servidoras ainda serão atingidos em vários aspectos, uma vez que a reforma: 

* Facilita a quebra da estabilidade no emprego; 

* Proíbe a progressão e a promoção com base apenas em tempo de serviço e torna obrigatória a vinculação coma avaliação de desempenho; 

* Proíbe licença-prêmio, licença-assiduidade ou por tempo de serviço; 

* Elimina as cotas de cargos que deveriam ser ocupados apenas por servidor e servidora de carreira; 

* Permite que, por motivação político-partidária, comissionadas e comissionados sejam destituídos, mesmo que tenham ingressado via concurso; 

* Amplia a atuação dos cargos de livre provimento em funções estratégicas, técnicas e gerenciais; 

* Acaba com o Regime Jurídico Único; 

* Dá ao presidente da República plenos poderes para extinguir, por decreto, cargos, planos de carreiras, colocar servidor em disponibilidade.

* Coloca como referência o salário dos novos servidores e servidoras. Como o salário de ingresso será reduzido, legitima o congelamento salarial a longo prazo, sob alegação de disparidade salarial; 

* Veda a redução de jornada sem a correspondente redução de remuneração, exceto se decorrente de limitação de saúde.

Fontes: Agência Câmara de Notícias e Condisef

 

 

De acordo com estudo do do Centro de Políticas Sociais da fundação, a Covid-19 deixou o Brasil mais desigual e pobre. E índice de satisfação do brasileiro registrou o menor índice da série histórica 

Publicado: 15 Junho, 2021 Escrito por: Redação CUT

A crise e econômica, agravada pela pandemia do novo coronavírus, que deixou milhões de trabalhadores e trabalhadoras desempregados e informais sem renda, aliada a falta de políticas públicas efetivas e propostas concretas para aquecer a economia e gerar emprego, aumentou a desigualdade de renda, derrubou o rendimento médio do trabalho e deixou os brasileiros mais infelizes.

Estudo de Marcelo Neri, do Centro de Políticas Sociais da Fundação Getulio Vargas (FGV Social), publicado no jornal Valor Econômico, comprova que os brasileiros estão mais tristes, estressados e com mais raíva.

Uma medida geral de felicidade obtida a partir do levantamento da Gallup World Poll mostra que, numa escala de 0 a 10, a satisfação do brasileiro ficou em 6,1 no ano passado, uma queda de 0,4 ponto percentual ante 2019, atingindo o menor ponto da série histórica.

A média de 40 países aponta que a percepção de felicidade ficou estagnada de 2019 a 2020: de 6,02 para 6,04. A pesquisa inclui nações como Áustria, China e Zimbábue.

Os mais infelizes, claro, são os mais pobres que mais estão sofrendo as consequências do agravamento da crise econômica e da falta de políticas efetivas do governo de Jair Bolsonaro (ex-PSL) para ajudar os mais vulneráveis, gerar emprego e renda, vacinas toda população para a economia voltar a crescer. E para piorar, em setembro do ano passado, Bolsonaro reduziu o valor do auxílio emerencial aprovado pelo Congresso Nacional de R$ 600 para 300. Este ano, depois de três meses sem pagar o benefício, reduziu mais ainda e passou a pagar entrre R$ 150 e R$ 375 reais e ainda para apenas metade as pessoas que receberam em 2020.

Neste cenário, o estudo  da FGV mostra que a queda geral da satisfação foi puxada pelos 40% mais pobres e o grupo intermediário, entre os 40% a 60% mais pobres. Já nas duas camadas acima, a avaliação ficou praticamente igual de um ano a outro.

“A nota média de felicidade dos 40% mais pobres fica em outro patamar (5,5) em relação aos grupos de renda mais alta, todos acima de 6, chegando a 6,9 nos 20% mais ricos. A diferença entre os extremos era de 7,9% em 2019 e sobe para 25,5% na pandemia”, disse Neri ao jornal, destacando que o dado é consistente com a disparidade no mercado de trabalho.

Brasileiros estão mais preocupados, com mais raiva, estresse e tristeza

O agravamento da crise gerou ainda uma onda de emoções negativas entre os brasileiros, relatava a reporetagem. Também de 2019 a 2020, aumentou de 56% para 62% a fatia de brasileiros que disseram estar preocupados, enquanto a média de 40 países aumentou só 2,4 ponto, de 38,5% para 40,9%.

Os brasileiros disseram ter sentido mais raiva (24%), estresse (47%) e tristeza (31%).

Desigualdade

Ainda segundo a reportagem, a renda média per capita recuou pela primeira vez abaixo de R$ 1 mil mensais, para R$ 995 no primeiro trimestre de 2021, ainda segundo o estudo. O dado caiu 11,3% ante um ano antes, quando estava em R$ 1.122, o maior nível da série iniciada em 2012.

 O estudo da FGV Social considera a renda efetivamente recebida do trabalho dividida pelos integrantes da família, e usa os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Já a renda do trabalho na população em idade ativa, considerando os desocupados, caiu 10,89% entre os primeiros trimestres do ano passado e deste ano. Entre a fatia dos 50% mais pobres, o recuo foi o dobro, de 20,81%. Para a população em geral, a queda na taxa de participação no mercado de trabalho respondeu por mais de 80% do recuo na renda. Já entre os mais pobres, o aumento da taxa de desemprego teve peso maior.

 

ROBERTO PARIZOTTI (SAPÃO)

 

 

 

 

A Diretoria de Acessibilidade da UFRJ está com dois editais abertos para seleção de facilitadores de aprendizagem.

edital 438/2021 tem inscrições abertas de 10 a 18 de junho de 2021.
edital 439/2021 tem inscrições abertas de 10 a 17 de junho de 2021.

Os estudantes selecionados receberão auxílios no valor de R$ 500,00.

Detalhes do evento:

Dia(s): 17 jun – 18 jun
Horário: 00h00 – 23h59

Local:
Online: Página de editais da Dirac

Categorias

Inscrição:

A confirmação da inscrição é de responsabilidade do organizador do evento.

Valor: Gratuito
Período de inscrição: Edital 438/21: até 18/06/2021; edital 439/21: até 17/06/2021
Site: https://acessibilidade.ufrj.br/editais/
Instituição responsável: Dirac/UFRJ
Email do organizador: dirac@reitoria.ufrj.br

 

Se você vai às manifestações, não esqueça das medidas de segurança para evitar a contaminação pela covid-19

Depois do chamado 29M, com atos que alcançaram números expressivos de participação popular, em 29 de maio, contra o governo de Jair Bolsonaro, em pelo menos todas as capitais brasileiras e no exterior, movimentos populares organizam uma nova manifestação presencial, marcada para o próximo dia 19, sábado.

:: Atos pelo “Fora Bolsonaro” chegaram a mais de 200 cidades e 14 países ::

Os organizadores reforçam que serão mantidos os cuidados sanitários nos protestos e a perspectiva de que são atos “extraordinários em uma pandemia diante da situação extrema de irresponsabilidade do governo Bolsonaro.”

As manifestações expressivas do dia 29 de maio são consideradas um elemento novo na conjuntura, tanto pela capilaridade nacional quanto pelo número de participantes dos protestos. Foram registrados atos em todos os estados e DF, em 213 municípios, mobilizando mais de 420 mil pessoas, segundo os organizadores.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os protestos mantém as bandeiras “Fora Bolsonaro”, vacina no braço (maior investimento no SUS, garantia de leitos e insumos e aceleração da vacinação) e comida no prato (auxílio emergencial de R$600, políticas para manutenção de salários e apoio a pequenas e médias empresas).

Até a última sexta-feira (11), a Central de Mídia das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo já havia contabilizado 74 manifestações confirmadas para o dia 19 de junho.

Confira, abaixo, a lista com todos os atos:

Norte

AM – Manaus – Passeata Praça da Saudade | 15h
AP – Macapá – Praça da Bandeira | 16h
PA – Belém – Caminhada Mercado de São Brás até Praça da República | 8h
PA – Santarém – Praça São Sebastião | 16h
RO – Guajará-Mirim – Parque Circuito | 9h
RO – Ji-Paraná – Casa do Papai Noel | 9h
RO – Porto Velho – Passeata Praça das 3 caixas d’água | 8h
RO – Porto Velho – Carreata 7 de setembro com a Farquar | 8h
RR – Boa Vista – Carreata e ato Centro Cívico até Jaime Brasil | 9h
TO – Palmas – JK Entrada Leste do Palácio Araguaia (Lado da Serra) | 8h30

Nordeste

AL – Maceió – Carro, moto ou a pé Praça Centenário | 9h
BA – Jacobina – Praça do Garimpeiro | 8h30
BA – Jequié – Praça Ruy Barbosa | 9h
BA – Feira de Santana – (Aguardando Infos)
BA – Paulo Afonso – Carreata | 9h (Aguardando Infos)
BA – São Luís do Curu – Saída de ônibus rumo à Fortaleza (Aguardando Infos)
BA – Salvador – Largo do Campo Grande até Farol da Barra | 14h
BA – Serrinha – Carreata | 14h (Aguardando Infos)
CE – Fortaleza – Praça da Gentilândia | 15h30
CE – Tianguá (Região da Ibiapaba) – Em frente ao Mix Atacarejo | 7h
PE – Recife – Praça do Derby indo pela Conde da Boa Vista até Guararapes | 9h
PB – Campina Grande – Praça da Bandeira | 9h
PB – Cajazeiras – Praça das Oiticicas | 9h
PB – João Pessoa – Caminhada e carreata Lyceu Paraíbano, rumo ao ponto de Cem Réis | 9h
PI – Piripiri – Praça da Bandeira | 10h
PI – Teresina – Praça Rio Branco | 8h
RN – Mossoró |  praça Cícero Dias em frente ao Teatro Municipal |  16h
RN – Natal – Midway Mall até Natal Shopping Center | 15h

Centro-Oeste

DF – Brasília – Carreata Praça do Buriti (até a Esplanada) | 8h
DF – Brasília – Caminhada Biblioteca Nacional | 9h
GO – Goiânia – Caminhada e Carreata Praça Cívica | 9h
MT – Cuiabá – Prainha – Ato Simbólico | 6h
MT – Cuiabá – Carreata  SESC Arsenal – Sentido Santa Isabel | 8h
MT – Cuiabá –  Praça Alencastro | 11h

Sudeste

ES – Vitória – Carro, Bike e a pé UFES até Assembléia Legislativa | 15h
MG – Belo Horizonte – Praça da Liberdade até Praça da Estação | 13h
MG – Juíz de Fora – Parque Halfeld | 10h
SP – Santos – Estação da Cidadania | 16h
SP – Bauru – Praça Rui Barbosa | 14h
SP – Campinas – Caminhada Largo do Rosário até Centro | 10h
SP – Carapicuíba – Ato Simbólico na Vila Dirce e ida à Av. Paulista | 10h
SP – Diadema – Terminal Diadema | 14h
SP – Ilha Bela – Praça da Mangueira | 15h
SP – Indaiatuba – Av. Francisco de Paula Leite esquina do SESI em frente ao posto BR | 14h
SP – Jacareí – Pátio dos Trilhos – 9h30
SP – Jaú – Em frente ao Cemitério | 9h
SP – Laranjal Paulista – Carreata Cemitério da Saudade | 13h30 e Ato Simbólico Largo São João | 14h30
SP – Ribeirão Preto – Passeata Esplanada do Teatro Pedro II | 9h
SP – Santo André – Praça do Carmo | 10h
SP – Santo André – Paço Municipal | 13h
SP – São Paulo – MASP – 16h
SP – Sorocaba – Praça Coronel Fernando Prestes (Catedral) | 10h
SP – Osasco – Caminhada Rua Antônio Agu/Estação de Osasco | 13h30
RJ – Rio de Janeiro – Monumento Zumbi dos Palmares até Candelária | 10h

Sul

PR – Curitiba – Praça Santos Andrade | 15h
PR – Londrina – Em frente ao Teatro Ouro Verde | 16h
RS – Porto Alegre – Ato 150 anos da CARRIS (Aguardando Infos)
RS – Porto Alegre – Largo Glênio Peres | 15h
RS – Porto Alegre – Mercado Municipal em marcha até Largo Zumbi dos Palmares | 15h
SC – Araranguá – Relógio do Sol | 9h
SC – Blumenau – Praça do Teatro Carlos Gomes | 10h
SC – Brusque – Ato distribuição de máscaras e arrecadação de alimentos na Praça Gilberto Colzani (Praça do Chafariz) | 10h
SC – Chapecó –  Praça Bertaso | 9h30
SC – Florianópolis – Praça Tancredo Neves (Praça da ALESC) | 9h
SC – Itajaí – Calçadão da Hercílio | 10h
SC – Joinville – Praça da Bandeira | 10h
SC – Lages – Praça João Costa (Calçadão) | 15h
SC – Rio do Sul – Ato e Arrecadação de alimentos Praça Ermembergo Pellizzetti | 9h30
SC – São Miguel do Oeste – (Aguardando Infos)
SC – Tubarão – Carreata e Caminhada Praça da Arena Multiuso | 13h30

Atos no Exterior

19/06
Inglaterra – Londres – Embaixada do Brasil | 14h (horário local0
Inglaterra – Oxford – Fernando’s Cafe City Center | 13h (horário local)
Portugal – Porto – Centro Português de Fotografia, Largo Amor de Perdição

20/06
Itália – Roma – Piazzale Del Verano 20h (horário local)

Edição: Vivian Virissimo

Atos foram registrados em todos os estados e DF, em 213 municípios, mobilizando mais de 420 mil pessoas – Foto: Silvia Fernandes

 

Com a retomada nesta quarta-feira, 16 de junho, da vacinação dos profissionais da educação superior na cidade do Rio de Janeiro, os trabalhadores da UFRJ (técnicos, docentes e terceirizados) poderão procurar o posto de saúde mais próximo de sua casa para receberem o imunizante. Mas, atenção: o protocolo exige que a pessoa tenha que apresentar o contracheque ou declaração da universidade.

O prefeito da Cidade Universitária, Marcos Maldonado, informou que quem tomou a primeira dose pelo sistema drive thru no campus do Fundão, para receber a segunda dose é só procurar qualquer posto de saúde levando o comprovante da primeira dose para completarem a imunização, dentro da data estabelecida no comprovante.

CLIQUE AQUI E CONFIRA AS INFORMAÇÕES E CALENDÁRIO COMPLETO DE VACINAÇÃO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 

 

 

O Sintufrj inicia nas suas redes a apresentação de uma série de pequenos vídeos com depoimentos de trabalhadores que descrevem suas atividades na UFRJ.

A série “Os essenciais” ganha maior importância por captar o sentimento e as dificuldades dos técnicos nesses meses de pandemia – tanto no trabalho remoto como nas funções presenciais.

Os depoimentos de companheiras e companheiros ganham vigor também pela circunstância do momento adverso quando a universidade pública, no geral, e a UFRJ em particular, se tornaram alvo de ataques do governo Bolsonaro.

A partir de hoje (14/6), as edições dos nossos vídeos podem ser vistas em nossas plataformas virtuais. Acesse aqui: https://linktr.ee/sintufrj

 

 

Fora Bolsonaro!

Sábado, 19 de junho, vamos repetir o 29M e encher as ruas do país com nossas bandeiras e a palavras de ordem “O governo é mais perigoso que o vírus: Fora Bolsonaro para salvar vidas!” Sim, a nossa luta é por vacina no braço e comida no prato de todos os brasileiros, e para conquistarmos esse direito só expulsando Bolsonaro genocida do Planalto Central.  

O Rio de Janeiro se prepara com mais força para fazer ecoar o #ForaBolsonaro! em todo o Brasil e no mundo. A concentração está marcada para às 10h, no Monumento Zumbi dos Palmares, na Avenida Presidente Vargas, nas proximidades do Terreirão. Os manifestantes seguirão em caminhada até a Igreja da Candelária.

Organização

A organização da manifestação foi decidida na Plenária de Lutas, na quinta-feira, 10, com a participação das Frentes Povo Sem Medo e Frente Brasil Popular, CUT e demais Centrais Sindicais, Comitê em Defesa da Vida, Fórum por Direitos e Liberdades, Movimento Acredito, Frente pela Vida, Coalizão Negra por Direitos, Comitê de Luta Contra as Privatizações, UNE, entre outras dezenas de entidades e movimentos.

Denúncia

Estaremos de volta às ruas para denunciar a falta de vacinas, auxílio emergencial ínfimo, falta de verbas para a educação, extermínio do povo negro, destruição da natureza e da Amazônia, e aumento da carestia de vida e do desemprego. Todos devem usar máscara, levar álcool em gel e manter o distanciamento.

O texto de convocação do ato denuncia a política genocida de Bolsonaro, principalmente em relação à pandemia, ao auxílio emergencial e ao assassinato de negros e pobres:

“A luta contra Bolsonaro é uma luta pela vida. Somos Fora Bolsonaro e defendemos o impeachment do presidente! 

– Queremos uma campanha massiva pela vacinação para todos! Com prioridade para trabalhadores mais expostos ao vírus, como entregadores, trabalhadores dos transportes públicos, de supermercado e farmácias. 

– Precisamos da volta do auxílio de R$ 600,00 para combater a fome que ataca nossas famílias e cresce cada dia mais no país. 

– É urgente o fim das operações policiais nas favelas e periferias! Que mata ainda mais a população negra e pobre com tiro. Nem fome, nem tiro, nem covid, queremos viver! 

Vem com a gente ocupar as ruas e dizer não a esse governo genocida!” 

 

 

 

Para o povo deixar de usar a máscara, como quer Bolsonaro, país precisaria vacinar 70% da população. Sem máscara e distanciamento social, Brasil pode ter um número catastrófico de mortes e casos de Covid-19

 Publicado: 11 Junho, 2021 Escrito por: Walber Pinto

Com a pandemia do novo coronavírus descontrolada, quase meio milhão de vidas perdidas e a vacinação lenta, recomendar o não uso de máscaras, como defendeu o presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL) nesta quinta-feira (10), é fazer “discurso de morte”, dizem autoridades e especialistas da área da saúde.

Eles rechaçaram veementemente a fala de Bolsonaro que disse ontem que o ministro da Saúde, o médico Marcelo Queiroga, está estudando uma portaria para desobrigar o uso de máscara de quem foi vacinado contra a Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, e também dos que já contraíram o vírus e sobreviveram.

O presidente, que sempre defende medidas contrarias à ciência, ignora as mais de 482 mil vítimas da doença que segue  acelerada – em apenas 24 horas, 2.344 brasileiros perderam a vida e 89.802 foram infectadas. O total de pessoas contaminadas chegou a 17.215.159 milhões.

A fala de Bolsonaro de não uso de máscaras com este cenário,  chocou sanitaristas e lideranças políticas que, de imediato, rebateram mais uma declaração negacionista do presidente. 

Especialistas avaliam que a fala de Bolsonaro é um “perigo de morte”, no momento em que o Brasil já sinaliza uma terceira onda da doença que pode ser mais letal. Além disso, o país não fez a lição de casa em um ano e meio de pandemia e, por conta disso, ainda sofre as consequências da má administração do governo federal na maior crise sanitária do século.

O Brasil ainda não atingiu a imunidade de rebanho para tomar  uma decisão como essa. Especialistas dizem que 70% da população precisar estar vacinada para se falar em controle da doença. E, e sem as medidas necessárias, como uso de máscara e distanciamento social, país pode ter um número catastrófico de mortes e casos da doença.

“Isso é mais um golpe de negacionismo, deixar as pessoas tentarem a imunidade de qualquer jeito, com muito mais mortes. Só no nosso país estão acontecendo essas coisas”, afirma o médico infectologista Marcos Boulos, em entrevista à Carta Capital, denunciando o “discurso de morte” do ocupante do Palácio do Planalto.

 “As pessoas, mesmo vacinadas, podem estar assintomáticas e transmitindo. Então, todos têm de usar máscara até que consigamos ter a imunidade populacional, a chamada imunidade de rebanho, e isso provavelmente só acontecerá próximo do fim do ano”, disse o doutor Boulos.

Com a vacinação lenta porque o governo Bolsonaro ignorou todos os emails de compras da vacina no ano passado, o uso de máscaras pela população é necessário mesmo para aqueles que já foram vacinados contra a Covid-19 e para quem se recuperou da doença.

O sanitarista Gonzalo Vecina Neto, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP, chamou a declaração do presidente de criminosa. “É uma posição próxima de criminosa. Quem já teve a doença, está provado, pode ter a doença novamente”, disse ao Estadão.

No mundo, Israel e os Estados Unidos são alguns dos países em que vacinados também não são obrigados a usar máscara. Lá, segundo balanço do Our World in Data, 59,4% da população já recebeu as duas doses da vacina. Nos EUA, 42,15%. Já no Brasil, apenas 11,06% das pessoas estão completamente imunizadas.

Alta de casos da doença

No Brasil, a alta taxa de transmissão do vírus e a média móvel de casos da doença acima de 50 mil por dia, ainda não permitem que a população deixe de usar as máscaras neste momento.

Dez capitais brasileiras registram ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) acima de 90%. Nos últimos sete dias, a média diária de casos foi de 58.990 por dia e a de mortes, de 1.714.

A situação se agravou nos últimos dias em Curitiba, Campo Grande, Aracaju, São Luís, Recife, Natal, Fortaleza, Maceió, Santa Cataria e Mato Grosso do Sul já apresentavam taxa de ocupação de leitos de UTIs igual ou superior a 90%, segundo levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo.

Essa tendência de alta procura por leitos intensivos da Covid-19 pode ser observada em outras capitais brasileiras que têm ocupação acima de 80% e 70%.

Fala de Bolsonaro repercutem nas redes

A fala do presidente repercutiu imediato nas redes sociais. A frase “Use máscara e tire o Bolsonaro” ficou entre os assuntos mais comentados nas redes. Personalidades políticas, artistas e várias organizações sociais repudiaram a fala de Bolsonaro.

 

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA